26.7.07

Paella Camponesa de domingão com família reunida




Há muito tempo eu vinha correndo atrás de uma paellera, barata, que não deformasse, não soltasse as tiras e não tivesse cheiro ;o), e depois de muito procurar finalmente encontrei (para quem se interessar, tem ali no Shopping Total, mas não sei o nome da loja e mesmo que soubesse não diria pois não estou ganhando nada por esse jabá ;o). Ta bom, ta bom, é uma que tem lá no térreo, próxima as agências bancárias, se não me engano é Casa do Gaúcho ou algo do gênero). Enfim, comprei a tal da paellera e me ocorreu que eu não sabia fazer paella, hehehe. Tive que recorrer ao meu cunhado Eduardo (que nas horas vagas é meu Shidoshi na arte culinária), e reuni a família para uma paella camponesa (wazahhhhhhhh). Me lembro que no dia em que fizemos esse troço faziam três (sim, eu disse TRÊS) graus Celsius em Porto Alegre, então se a sua idéia é reunir a família na volta do fogo, não tem pedida melhor.

Vamos ao goró.

Ingredientes:

- 500 gr de picanha suína devidamente picada em cubinhos;
- 500 gr de alcatra devidamente picada em cubinhos;
- 500 gr de patinho devidamente picada em cubinhos;
- 2 peitos de frango devidamente picados em cubinhos;
- 400 gr de calabresinha fina picada em rodelinhas;
- 1 pacote de coração de galinha;
- 150 gr de bacon picadinho;
- 3 cebolas grandes picadas;
- 5 dentes de alho picados;
- 2 pimentões vermelhos picados;
- 2 pimentões verdes picados;
- 2 pimentões amarelos picados;
- 600 gr de ervilhas limpas;
- 600 gr de vagem limpa e sem talo;
- 1 ramo de salsinha picadinho;
- 1 vidro de azeitonas (verdes ou pretas), sem sementes;
- 1 vidro de palmito;
- 1 vidro de mini-milho;
- 1 kg de arroz parbolizado;
- 5 caldos de picanha em tabletes;
- 5 colheres de sopa de açafrão em pó;
- 4 copos de vinho branco suave;
- sal a gosto;
- 1 lata de azeite de oliva;
- seu décimo terceiro e metade das férias para comprar isso tudo ;o);

Modo de preparo:

Não se assuste, apesar da quantidade de ingredientes, tudo não passa de um carreteirão com caldo amarelo ;o). Para começar, coloque bastante água para esquentar enquanto você pica o que tiver para ser picado nos ingredientes. Depois de fervida a água, adicione os tabletes de caldo de picanha numa vasilha e derrame um litro de água fervendo para que eles se dissolvam. Numa outra vasilha, adicione as 5 colheres de açafrão e derrame outro litro de água quente no açafrão. Reserve-os e vamos a segunda etapa.

Acenda o fogareiro, coloque a paellera com umas 8 colheres de sopa de azeite no fogo e deixe esquentar bem antes de começar a colocar os ingredientes. Vai com calma, sem pressa, abre uma garrafa de vinho, vai contando umas piadas que tudo vai se resolver ;o).

Quando o azeite estiver bem quente, vá adicionando as carnes conforme esta sequeência: primeiro o porco, e vá mexendo para que ele frite sem grudar na paellera. Depois vá colocando o patinho e a alcatra, mexendo sempre. Se o seu fogareiro lhe permitir controlar o fogo, vá fritando com os aquecedores em fogo alto que é bem prazeroso ver as pessoas te olhando com aquela cara de “Ai, ai, ai, tomara que ele saiba o que está fazendo”. No meio do paellero vai juntar um caldinho que a carne solta, vá jogando a carne de um lado a outro para aproveitar bem esse caldo. Adicione os coraçõezinhos e o frango que são extremamente rápidos no cozimento e continue mexendo.

Muito bem, agora é chegada a hora de algumas verduras (calma, não me esqueci do bacon e das calabresinhas, elas vem logo em seguida; já te deixei na mão alguma vez??? ;o)). Abra um espaço no meio da paellera e coloque o alho e as cebolas picadinhas, bem naquele caldinho que comentávamos há pouco. Quando estiverem bem douradinhos, adicione o bacon e a calabresinha, mexendo sempre. Quando estiver tudo bem cozido, baixe o fogo que agora vem o momento especial.

Em fogo baixo, derrame o arroz parbolizado por toda a superfície da panela. De uma volta derramando o azeite novamente e depois adicione os 4 copos de vinho sobre a paellera. Derrame os pimentões coloridos sobre a panela e despeje aquela vasilha com o caldo de carne dissolvido e a outra vasilha com o açafrão. Salgue a gosto. Espalhe a salsinha por sobre toda a panela e sobre a salsinha espalhe a vagem, cobrindo toda a paellera. Espalhe na sequência as azeitonas, o mini-milho, a ervilha e os aspargos. Se necessário, adicione mais um pouco de água para o cozimento.

Tampe a paellera (ou cubra com papel laminado caso ela não possua tampa), e deixe no fogo baixo por uns 15 minutos. Ta pronto meu guri, destapa esse troço, chama o batalhão e vai ser feliz.

Dica do japa:

- Se você quiser, também pode utilizar champignons para esta receita que fica da bruxa;

- É praticamente um sacrilégio você comer uma paellera camponesa dessas sem pelo menos colocar umas gotinhas de pimenta no prato do vivente. Não precisa abusar, mas o sabor é outro com uma pimentinha no lombo. Vai por mim que eu nunca te botei em fria, ou vai dizer que já botei? hehehe

- Esqueci de comentar no início, mas nessas quantidades, comeram 11 adultos e 5 crianças. E deu ali, ali, hehehe.

Trilha sonora da receita: Mas olha, uma comilança dessas com família reunida, pega o CD do “Reinaldo e seus Convidados” volumes 1, 2 e 3 e deixa tocando na viola que a diversão ta garantida.

Entretenimento áudio-visual para auxílio degustativo do prato: Bom, eu tenho um irmão aqui que quando começa a contar “causos” é uma festa em pessoa, hehehe. Estamos estudando as possibilidades de alugar ele para as pessoas fazerem suas receitas ;o)

Idealizador e hábil executor da receita: Spk e seu cunhado Du;

Have fun

T+

Spk